Guia Salarial da Robert Half traz os cargos em alta em 2020

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Com nova metodologia, estudo apresenta quatro faixas salariais que detalham melhor a
remuneração em oito áreas

O ano de 2020 vai trazer boas oportunidades para aqueles que valorizam e praticam o
planejamento, seja na carreira, na estruturação da equipe ou nos negócios. É o que aponta o
novo Guia Salarial da Robert Half. Em sua 12ª edição, o estudo também indica que são raros os
grandes saltos salariais, já que 2020 será um ano de retomada lenta, porém contínua da
economia.

“Para serem valorizados, os profissionais devem seguir investindo em suas habilidades
técnicas, mas é essencial desenvolver também suas habilidades comportamentais, ou soft
skills. Além disso, independentemente da área de atuação, manter-se atualizado quanto às
tendências em tecnologia será primordial para conseguir incremento no salário”, aponta
Fernando Mantovani, diretor geral da Robert Half no Brasil.

Já para os empregadores, é importante saber que os candidatos e colaboradores buscam mais
do que o salário. “Hoje os profissionais valorizam a possibilidade de crescimento dentro das
organizações, além do pacote de benefícios, cultura organizacional e propósitos da empresa”,
completa Mantovani. “Em 2020, as organizações devem encarar o recrutamento como uma
estratégia do negócio, já que o grande desafio será encontrar e atrair talentos”.

Nova metodologia
Com mais de uma década de história no Brasil, o Guia Salarial da Robert Half apresenta nova
metodologia na edição 2020. As tabelas salariais – que antes traziam as remunerações mínimas
e máximas para cada posição -, foram substituídas por quatro faixas salariais, determinadas
pelo nível de qualificação e experiência do candidato, bem como pela complexidade de seu
cargo ou indústria e setor de atuação.

“A visão salarial mais fragmentada para todas as funções facilita a consulta para o profissional,
permitindo identificar em qual faixa ele se encontra e, a partir disso, analisar quais pontos ele
precisa evoluir para se aproximar da próxima faixa, seja por acúmulo de experiência, obtenção
de certificados ou domínio de idiomas, por exemplo”, esclarece Mantovani. “Já para os
contratantes, as tabelas também vão auxiliar na tomada de decisão”, completa.

Os salários são divididos em percentis, representados por 25º/ 50º/ 75º/ 95º, sendo que 50º
não significa, necessariamente, a mediana do salário para determinado cargo. Os critérios para
determinar em que faixa o perfil se encontra podem variar em torno da experiência na função,

tempo no segmento, porte da empresa, características setoriais, demanda e disponibilidade
pelo perfil no mercado, habilidades e certificações extras, por exemplo.

Profissões em alta para 2020
(Fonte: Guia Salarial 2020 da Robert Half/ Valores em reais)
Clique aqui.

Assine nossa Newsletter

Receba nossas novidades por email

Outras publicações

TRÁFEGO: O QUE É E PARA QUE SERVE?

Tráfego: o que é e para que serve?

Você já parou para pensar sobre como o sucesso de uma loja ou página é medido na internet? Podemos garantir que há muitos indicadores, mas