GOOGLE SHOPPING: O QUE É E COMO FUNCIONA?

Google Shopping

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Em 2020, o Google anunciou o Google Shopping como um serviço gratuito. Isso permitirá que qualquer pessoa com um site ou negócio de varejo online coloque produtos na plataforma de compras da empresa sem pagar nada por isso.

A gigante das buscas com sede na Califórnia está abrindo o mercado, ajudando os varejistas a se conectar com seu público e reduzindo as barreiras de entrada para competir melhor com empresas como a Amazon.

Com a eliminação de taxas. espera-se uma maior abertura de suas plataformas e incentive um número significativo de empresas que queiram vender seus produtos na Internet.

A mudança do Google não vai gerar receita com as listagens gratuitas dos produtos, mas eles vão ganhar dinheiro cobrando por anúncios e apresentando produtos promovidos, como faz em outros serviços.

O Google Shopping agora é uma plataforma gratuita oferecida pelo Google que permite aos usuários pesquisar, comparar e comprar produtos físicos em seu banco de dados.

Os resultados de compras do Google são mostrados ao usuário separadamente dos resultados de pesquisa orgânica normais e são, na verdade, seu próprio banco de dados de compras que você pode explorar.

Eles refletirão a correspondência mais próxima aos termos de pesquisa do usuário, com produtos promovidos pagos aparecendo separadamente dos resultados orgânicos.

A história Google Shopping

O Google Shopping foi inicialmente chamado de Froogle e era pouco mais do que um mecanismo de pesquisa. Os usuários digitavam o nome de um produto e veriam vários links para sites relacionados.

Com o tempo, no entanto, a empresa aprimorou o formato para oferecer uma alternativa ao eBay e Amazon. O Google tornou mais fácil para os clientes comparar itens e preços em seus bancos de dados. Então, em 2012, mudou para o modelo de publicidade paga.

Desse ponto em diante, a plataforma se tornou uma extensão do Adwords – um serviço de publicidade paga que os varejistas de comércio eletrônico poderiam usar para alavancar seu negócio.

As taxas de utilização, no entanto, diminuíram nos últimos anos devido às barreiras de entrada. As empresas deviam pagar altos custos para aparecer na plataforma, desencorajando o uso.

Como funciona o Google Shopping?

Existem milhares de e-commerce por aí, mas o consumidor médio não as conhece. Mesmo grandes marcas, como a Etsy, permanecem desconhecidas em alguns setores.

O Google Shopping, portanto, é uma maneira de empresas com ótimos produtos ganharem visibilidade. Ou, como o Google coloca: o Google Shopping “torna o mundo sua vitrine”. Os varejistas que usam o serviço, de repente, ganham acesso à enorme base de usuários do gigante da internet, aumentando potencialmente suas vendas.

Antes do grande anúncio de que o Google Shopping permitiria listagem gratuita de produtos, as empresas pagavam uma taxa para colocar os produtos na plataforma.

Seus produtos se tornarão pesquisáveis ​​por meio da plataforma em todo o mundo. O serviço agora está aberto a todos os varejistas (após uma mudança de política em 2019).

No ano passado, o Google atualizou o Shopping com recomendações personalizadas baseadas em dados e características do usuário. A experiência renovada forneceu recursos essenciais, como inventário local e checkout mais suave. A boa notícia é que esses recursos permanecerão.

A empresa diz que irá incorporá-los em suas novas páginas, fornecendo um serviço aprimorado que ela espera que possa competir melhor com a Amazon. Os usuários verão páginas de produtos com curadoria (como fazem em muitas outras plataformas de comércio eletrônico), apresentando produtos específicos, como eletrônicos.

Fazer o upload de produtos gratuitos é semelhante ao upload de promoções pagas. O Google Merchant Center agora incluirá uma opção para dados de produtos gratuitos juntamente com campanhas pagas. Em seguida, eles aparecerão nos resultados, assim como os anúncios pagos.

Por que usar o Google Shopping?

O Google Shopping é uma plataforma poderosa que atende sua empresa de várias maneiras. Vamos mergulhar em alguns desses benefícios abaixo.

Maior volume de pesquisa

Esta é a resposta curta para o motivo pelo qual as empresas usam o Google Shopping: tráfego!

O Google é o maior mecanismo de busca do mundo, atendendo a mais de 90 bilhões de consultas de pesquisa todos os meses. Em muitos aspectos, é e a primeira porta de entrada da internet para a maioria dos usuários.

Ao contrário da opinião popular, a Amazon não detém o monopólio total do comércio eletrônico. 35% dos compradores começam sua busca por produtos no Google. E com as mudanças anunciadas aqui, esse número tende a aumentar.

À medida que as notícias sobre a experiência de compra aprimorada se espalham, os consumidores naturalmente mudam seu comportamento, beneficiando os varejistas online.

Melhor segmentação de tráfego

Os varejistas de e-commerce sabem que tráfego maior não significa necessariamente mais vendas. Por esse motivo, você precisa direcionar as pessoas com dinheiro e disposição para comprar seus produtos.

O Google Shopping, portanto, é uma plataforma atraente para varejistas online. Ele fornece um caminho claro para encontrar pessoas com a intenção de comprar seus produtos.

Ao contrário da pesquisa padrão, você pode estar razoavelmente certo de que aqueles que digitam termos no Google Shopping estão procurando produtos. Se não, então por que mais eles estariam lá?

Além disso, o Google Shopping permitirá que você direcione melhor seus anúncios para atender a mercados específicos. Portanto, por exemplo, se o seu nicho for “equipamento para pesca marítima”, você pode segmentá-lo especificamente.

Mais cliques

Os links PPC da Pesquisa Google normalmente atraem cerca de 20% do volume total de tráfego. Os 80% restantes vão para os resultados orgânicos, mesmo que sejam menos relevantes do que o anúncio.

A razão para esse efeito é simples: os consumidores aprenderam ao longo dos anos que as páginas orgânicas geralmente são mais confiáveis ​​do que as pagas. Ser notado em pesquisas padrões, portanto, é um desafio.

A configuração da plataforma Google Shopping, entretanto, é diferente. Aqui, a maioria dos resultados que aparecem na primeira página são produtos promovidos. Se os usuários desejam encontrar resultados orgânicos para seus termos de pesquisa, eles precisam clicar para ir para a segunda ou terceira página. A maioria não se incomoda.

Por esse motivo, as taxas de cliques pagas tendem a ser mais altas na plataforma. Adicione a isso o fato de que o Shopping exibe a miniatura do produto e o preço destacado, e a capacidade de geração de tráfego da plataforma é ainda maior.

Quer saber mais sobre este e outros assuntos? Acesse nosso blog e mantenha-se atualizado!

Assine nossa Newsletter

Receba nossas novidades por email

Outras publicações

transformação digital

A transformação digital nos relacionamentos

A pandemia impôs uma década de transformação digital às organizações em poucos meses. Trabalho remoto, e-commerce, cibersegurança. A cada transformação organizacional, as empresas tiveram que